regresso

Setembro é o meu mês favorito e recebo-o com muita alegria. Setembro traz-me sempre expectativas, novidades e, apesar disso, mais tranquilidade e paz.

Este ano, Setembro traz-me uma mudança de vida. Uma mudança que era desejada há algum tempo, mas que, por diversas razões (sendo o medo a maior delas todas) foi sendo adiada.

O PaperLoveBaby foi a grande motivação para esta reviravolta, foi o seu nascimento que me deu coragem e, sendo muito honesta comigo mesma, a verdadeira vontade para dar o salto.

Embora eu gostasse muito de trabalhar com os meus alunos, há anos que o meu desejo era dedicar-me ao meu lado mais artístico, há anos que eu suspirava por ter tempo, tempo a sério, para criar... Iniciei este projecto há três anos... Nunca celebrei o seu aniversário, porque nunca consegui parar para o fazer.

Desde que comecei a criar os PaperLoveToys, o trabalho passou a ocupar a maior parte do meu tempo: de dia, com os meus alunos, de noite com este mundo de papel. Com o nascimento do PaperLoveBaby, as noites de trabalho tornaram-se muito mais longas, porque eu começava a trabalhar muito mais tarde, só depois de o bebé adormecer. Comecei a dar por mim a desejar que ele adormecesse depressa, porque eu tinha de ir trabalhar. Comecei a sentir culpa por isso. Comecei a ter menos prazer no desenvolvimento deste projecto, porque o cansaço estava a conseguir vencer-me. Estava na altura de tomar uma decisão, de escolher um caminho.

Dormi (sem dormir) sobre o assunto, ponderei os prós e os contras, avancei e recuei imensas vezes, porém, no meu coração, o caminho estava escolhido. O caminho de uma vida mais calma, menos apressada; uma vida em que tenho tempo para estar com o meu filho e com o pai dele sem pensar no trabalho que está à espera; uma vida com fins-de-semana, pelo menos alguns; uma vida mais cheia de família e amigos. Uma vida em que eu me sinta respirar.

Claro que vou ter imenso trabalho, espero que sim! Não vai ser um mar de rosas, não vai ser sempre bom. Vai haver muito suor e muitas lágrimas, com certeza, à boa maneira portuguesa. Sei, no entanto, que com a minha resiliência, o meu empenho e o apoio das minhas pessoas serei bem sucedida.

Continuarei a poder estar com os meus alunos, contudo a fazer o que mais gosto, Arte! Terei outra actividade, que me fará muito feliz (depois conto...) e dedicar-me-ei a este projecto de papel que me tem trazido tanta alegria!

Podem contar com paper toys cada vez mais bonitos, com ideias novas que poderei, finalmente, pôr em prática e com muita imaginação! Venham daí os vossos desejos!

 

1 Comment