Tenho optado por entregar os paper toys em mãos sempre que me é possível, porque gosto de conhecer as pessoas que me contactam para criar paper toys, gosto de lhes ver o sorriso quando vêem a caixa preparada com cuidado e quando olham para os paper toys ao vivo. É um dos melhores momentos de todo o processo, para mim (apesar da minha timidez e do embaraço com que recebo elogios, mesmo que direccionados para o meu trabalho).

A Filipa foi uma das primeiras pessoas a encomendar-me paper toys e o seu pedido encheu-me o coração por vários motivos. A Filipa quis que eu retratasse uma família, pai, mãe e dois filhos; quis que eu desenhasse as crianças mascaradas (dois bons desafios, pois ainda não tinha desenhado crianças, muito menos com máscaras), o pai, baterista, com umas baquetas nas mãos, e a mãe com uma saia (formato novo para mim). Pensei logo "sim, eu quero mesmo fazer isto!". Mas, o que mais me alegrou foi saber que estes paper toys seriam uma prenda de casamento, um casamento pela segunda vez (não é tão bonito?), e que seriam levados para viver na Noruega, levando um bocadinho de mim para esse país que eu ainda não visitei.

Há três dias atrás, recebi da Filipa uma fotografia que me deixou de sorriso aberto o dia inteiro (e que me põe a sorrir agora, enquanto escrevo este post). Não preciso de mais palavras, porque a fotografia fala por mim. Muito obrigada, Filipa, e muito obrigada, R. e H.!

P.S.: para verem melhor os paper toys, deixo-vos mais umas fotografias.

RH.Noruega

O R. e a H., os adultos, com as dimensões do costume: 15cm de altura, 5cm de largura e de profundidade). As crianças, da esquerda para a direita, com 6cm e 7 cm de altura, 3cm de largura e de profundidade (sem contar com as máscaras), respectivamente.

Máscaras removíveis - uma surpresa que acrescentei ao projecto, pois a ideia original era enquadrar as máscaras no corpo dos paper toys.

De máscaras postas ;)



Comment